Não, você não pode viajar

Permita-me ir na contramão de todos e te contar algo que penso há muito tempo:

Você não pode viajar. Aliás, eu conclui que também não posso.

Numa época de redes socias e abundância de informações a sensação é novamente de não pertencer ao mesmo mundo das pessoas que nos inspiram.

O que surgiu para aproximar a pessoas, viajantes e fazer nos sentir que era possível, volta a trazer o pensamento: você não pode viajar não.

Vem ler esse texto e refletir comigo, quem sabe você se indentifica e volta a sonhar ?



Você não pode viajar

Nós somos influenciados pelo que vemos e vivemos. E muitas vezes iludidos pelos nossos olhos.

você não pode viajar visão deturpada
Uma doce ilusão

Abrir o instagram antes de abrir o olho (quem nunca?) ver os videos que tal apresentador fez semana passada, assistir ao stories da musa fitness em um Safari em tempo real, ver a instagramer em fotos maravilhosas pelo mundo em hotéis que mal parecem reais,

Além da vida real temos um mundo digital que nos influencia diariamente. A Luiza do 360 Meridianos até fez um post sobre isso mais menos na mesma época que surgiu a reflexão desse post aqui.

As vezes essa é a minha rotina da manhã e eu imagino que seja a de muita gente também.

Nesse momento, de ver o surreal em fotos, eu me pego pensando: Que viagem incrível! … Mas isso não é pra mim.

oi!? OI?!?!?

Você mesmo deve estar tentando entender que texto é esse, já que muitas vezes sou eu a pessoa que você assiste mostrando as viagens em tempo real, certo? Ou mesmo lendo meus roteiros por aqui em que faço todo mundo viajar junto comigo.

Foi aí que eu parei pra pensar que tem algo errado, mas muito errado!

você não pode viajar o mundo esta ao contrario
O mundo está ao contrário e ninguém reparou

Antes de tudo, e talvez acima de tudo, não é por que eu escrevo em um blog de viagens ou compartilho minhas histórias que sou diferente do que você é, – não sou.

E isso talvez tenha sido o motivo de sentir um nó estranho no cerébro tentando entender o que me incomodava.

E em como eu cheguei na triste conclusão de que viajar não é pra mim.

Deixei o dia fluir.

E eis que olhando pro meu passado, pra fotos antigas de uma pasta no computador ou de lembranças na minha mente eu finalmente consegui entender.

Não, viajar desse jeito não é pra você, nem pra mim.

você não pode viajar é ilusão
Andar sob as águas seria ilusão?

Eu acredito que a maioria das pessoas que fala de viagem são motivadas a te influenciar a fazer o mesmo. O meu é! Eu sempre falei disso aqui.

E realmente, pare pra pensar como era nossa vida há uns anos atrás:

Há pouco mais de 5 anos atrás o GPS não estava na mão de todo mundo, há 10 anos não tínhamos o google tão fácil pra ajudar a gente a fazer um roteiro incrível sem precisar de uma agência de turismo, há 15 ou 20 anos atrás quem usava avião tinha muito muito dinheiro mesmo!

A gente aos poucos, com a ajuda da internet, foi quebrando tudotudo que nos disseram que não dava pra fazer ou que era caro demais.

Os lugares ficaram próximos, as redes sociais vieram e nos aproximaram de quem estava longe.

você não pode viajar sonho
O mundo tá tão perto, e tão distante…

Mais um tempo passou e as lives invadiram nossa vida, live no instagram, youtube, snapchat, stories do instagram e o quase extinto periscope, que basicamente começou tudo isso de transmissão em tempo real.

O tempo real afoga tanto que substitui uma mensagem sincera de “oi, você tá bem? ” por: “ela tá ótima pelo que vi nas redes sociais”. Eu não tiro o corpo fora não, sou tanto assim quanto você.

Se antes a gente via fotos postadas depois de semanas, agora a gente vê ao vivo e depos de 24 horas a notícia tá velha (e some).

Aí seria hora de pensar:

Você tá tão dentro da viagem da pessoa que se sente mais próximo, certo?

Não! Errado, aí que tá!

Em alguns casos a gente não se sente próximo, sente que não pertence aquilo. Por um motivo aquela pessoa se distancia e a gente para todo o fluxo bom do “é possível” e muda pro “não é pra mim.”

Isso acontece por que não era mais eu ou você que estavamos mostrando nossa experiência.

São famosos da TV, da internet ou mesmo do instagram que estão te vendendo o sonho impossível ao invés do possível, simplesmente porque é mais bonito no feed.

Eu não to dizendo que são todos assim, ou que isso tá errado. O que tá estranho é a maneira como se envia a mensagem, e como a gente se acostumou a recebe-la.

Recentemente vi casos de blogueiras que receberam patrocínio de uma loja de roupas de bebe em Orlando, mas metade nem pensa em ter filho e nenhuma estava grávida. A tal blogueira fitness que falei há uns parágrafos atrás falou tanta besteira que eu quase colei meu link de roteiro da África pra ela ler, pra ver se ajudava na divulgação correta das informações.

Gente, viajar não é de graça e nunca foi. Mas é possível.

É claro que tem formas mais baratas de se viajar sim, e eu já até te falei disso num post que chamei de viajar de graça, mas não é desse tipo de viagem (paga com trabalho) que eu to falando.

Como falei frases acima, com a internet e evolução toda da tecnologia, a viagem de turismo se tornou mais viável, mais barata e mais possível pra muita gente, inclusive pra mim.

Mas com essa popularização, tudo virou negócio, business. E aí a experiência do outro passou a ser fabricada, muito próxima daquilo que a gente acha real mas com a grande diferença de não ser.

Eu não posso dizer que é só ir se eu não sei nem como chegar. E foi por isso que eu estava inquieta vendo essas imagens. Aquelas pessoas não viveram verdadeiramente a experiência e vendem o produto final: a alegria, as fotos perfeitas.

Mas nosso intimo sabe.

O que era pra nos aproximar, tende a nos afastar novamente por quê a gente não se identifica mais.

A gente não se vê naquela realidade e para de sonhar.

Essa semana vi mais uma vez esse tema e fez todo sentido, a Vic Ceridono que fala de beleza e moda na Vogue comentou sobre esse mesmo efeito no ramo da beleza em um dos videos dela (Papo Randômico – Vida Perfeita com Vic Ceridono).

E não serei hipócrita em dizer que não recebo parcerias em viagens, vocês sabem que sim,  mas o que eu digo na vida não muda, não dá pra eu sair do possível pra mim, então isso é possível pra você também.

você não pode viajar pra todo lugar
Seria asism uma árvore sem esperança

Quer um exemplo real meu?

Eu sempre dizia que viajar pra Europa era caro, e que eu não ganhava o suficiente pra isso.

Um belo dia uma oportunidade surgiu e eu me vi em Londres 1 semana depois, uma cidade cara.

E foi caro de fato? Muito menos do que eu imaginava. Tanto é que voltei e escrevi sobre quanta coisa se faz sem pagar nada em Londres.

Eu não fui patrocinada naquela viagem, o blog era bem discreto, mas se eu tivesse me deixado levar pelo que HOJE é vendido em imagens, eu não teria ido a Londres mesmo com a oportunidade gritando meu nome.

Viajar nunca foi de graça mas é possivel hoje, muito mais que ontem.

Precisamos voltar a por o pé no chão e nos achar na multidão.

Deixa a ansiedade e o celular de lado. Para de achar que a grama do vizinho é mais verde que a sua.

Para de achar que viagem é teletransporte e que não tem perrengue, tem sim! Faz parte! E se tiver na tua ela é apenas um sinal de uma viagem real.

Valorize as dicas do amigos, dos blogs que você gosta, de pessoas que tem seu estilo e provavelmente querem o mesmo que você.

Basta que a gente separe o que é verdade do que é um feed bonito e tudo se torna real de novo!

Você já me achou e espero ser uma referência real pra você. De verdade.

Você pode viajar SIM, escolha bem como e viva seu sonho.
Você pode viajar SIM, escolha bem como e viva seu sonho.

Conte pra mim o que você acha disso.

E se eu puder te inspirar, vou tentar fazer isso lá no instagram(@aosviajantes)

(nunca consigo deixar o feed bonito mesmo! XD)

Advertisements

Deixe seu comentário!

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.

Loading Disqus Comments ...